Cadastre-se no APdoBanespa - É GRÁTIS - Clique aqui

Desenvolvimento sustentável: vamos praticá-lo
Visite www.apdobanespa.com

Por Amanda Kieling e Carlos Moraes*
"Desenvolvimento sustentável é um processo de mudança no qual a exploração dos recursos, o direcionamento dos investimentos, a orientação do desenvolvimento tecnológico e a mudança institucional estão em harmonia e reforçam o atual e futuro potencial para satisfazer as aspirações e necessidades humanas. (...) é o desenvolvimento que encontra as necessidades atuais sem comprometer a habilidade das futuras gerações de atender suas próprias necessidades."

Neste novo cenário, cresce a conscientização da sociedade sobre a importância da preservação do meio ambiente e com isto uma maior exigência para que governos e empresas passem a primar por um equilíbrio entre o ambiental, o social e o econômico. Este tripé se torna fundamental nas discussões por um planeta mais saudável em todas as áreas do conhecimento. Surgem novas leis, novos programas, novos requisitos de mercado, encontros para definir metas.

No entanto, das conferências científicas internacionais aos grandes encontros de chefes de Estado enfrenta-se até hoje a dificuldade de se conceituar e, principalmente, de se implementar a almejada sustentabilidade. Isto é tão evidente que na última terça-feira, 23 de setembro, representantes de mais de 120 países do mundo na Cúpula do Clima em Nova York tentaram mais uma vez acordar sobre a redução de emissões de gases de efeito estufa, acordo este que já deveria ter sido firmado em 2009.

Neste sentido, observa-se que desenvolver-se sustentavelmente na essência de seu conceito não é tarefa fácil, e uma das barreiras é o uso desenfreado e inadequado do termo sustentabilidade.

A própria sociedade responsável por esta transformação de consciência ambiental deve questionar suas ações cotidianas. Deve entender que para se alcançar a sustentabilidade é necessário então se atingir padrões compatíveis de consumo e de produção de forma a se adequar à capacidade do planeta de recompor o seu próprio equilíbrio.

Se este é o planeta que precisamos preservar para as gerações futuras, precisamos preparar também as pessoas para viverem de forma adequada nele. Estamos no momento do fazer correto, de agir sustentavelmente, de consumir de forma responsável, de multiplicar ações, de resistir às tentações de consumo, de tornar a vida mais simples, equilibrada, promovendo o ciclo fechado dos sistemas produtivos e dos produtos. Que não tenhamos mais resíduos ou lixo, mas materiais a serem reutilizados, recuperados, reinseridos na sua totalidade na indústria; água com tratamento suficiente para cada aplicação; e que estas ações ocorram em casa, na rua, no trabalho, no lazer, e em todas as relações que tenhamos com o meio ambiente.

*Coordenadores do Curso de Engenharia Ambiental – Unisinos

FONTE

Carolina Salles
Carolina Salles
Direito Ambiental
Mestre em Direito Ambiental.Desenvolvimento sustentável: vamos praticá-lo
Salvar • 1 comentário • Imprimir • Reportar
Publicado por Carolina Salles - 3 dias atrás
19
Por Amanda Kieling e Carlos Moraes*

"Desenvolvimento sustentável é um processo de mudança no qual a exploração dos recursos, o direcionamento dos investimentos, a orientação do desenvolvimento tecnológico e a mudança institucional estão em harmonia e reforçam o atual e futuro potencial para satisfazer as aspirações e necessidades humanas. (...) é o desenvolvimento que encontra as necessidades atuais sem comprometer a habilidade das futuras gerações de atender suas próprias necessidades."

Neste novo cenário, cresce a conscientização da sociedade sobre a importância da preservação do meio ambiente e com isto uma maior exigência para que governos e empresas passem a primar por um equilíbrio entre o ambiental, o social e o econômico. Este tripé se torna fundamental nas discussões por um planeta mais saudável em todas as áreas do conhecimento. Surgem novas leis, novos programas, novos requisitos de mercado, encontros para definir metas.

No entanto, das conferências científicas internacionais aos grandes encontros de chefes de Estado enfrenta-se até hoje a dificuldade de se conceituar e, principalmente, de se implementar a almejada sustentabilidade. Isto é tão evidente que na última terça-feira, 23 de setembro, representantes de mais de 120 países do mundo na Cúpula do Clima em Nova York tentaram mais uma vez acordar sobre a redução de emissões de gases de efeito estufa, acordo este que já deveria ter sido firmado em 2009.

Neste sentido, observa-se que desenvolver-se sustentavelmente na essência de seu conceito não é tarefa fácil, e uma das barreiras é o uso desenfreado e inadequado do termo sustentabilidade.

A própria sociedade responsável por esta transformação de consciência ambiental deve questionar suas ações cotidianas. Deve entender que para se alcançar a sustentabilidade é necessário então se atingir padrões compatíveis de consumo e de produção de forma a se adequar à capacidade do planeta de recompor o seu próprio equilíbrio.

Se este é o planeta que precisamos preservar para as gerações futuras, precisamos preparar também as pessoas para viverem de forma adequada nele. Estamos no momento do fazer correto, de agir sustentavelmente, de consumir de forma responsável, de multiplicar ações, de resistir às tentações de consumo, de tornar a vida mais simples, equilibrada, promovendo o ciclo fechado dos sistemas produtivos e dos produtos. Que não tenhamos mais resíduos ou lixo, mas materiais a serem reutilizados, recuperados, reinseridos na sua totalidade na indústria; água com tratamento suficiente para cada aplicação; e que estas ações ocorram em casa, na rua, no trabalho, no lazer, e em todas as relações que tenhamos com o meio ambiente.

*Coordenadores do Curso de Engenharia Ambiental – Unisinos
FONTE - Carolina Salles
Direito Ambiental - Mestre em Direito Ambiental.   - Visite www.apdobanespa.com

APdoBanespa - 01/10/2014

|   Ver Comentários   |   Comentar   |

Nº 118576   -    enviada por     Álvaro Pozzetti de Oliveira   -   Bauru/


|   Voltar |

Veja Mais Notícias

09/11

  Bens – Economize, doando em vida

07/11

  Banesprev convoca Assembleia Geral 2018

01/11

  SANTANDER - LUCRO NO 3º TRI

29/10

  GRATIFICAÇÕES – VENCEMOS MAIS UM OBSTÁCULO

23/10

  Jornal da Afubesp de outubro/2018

08/08

  Queremos proposta da Fenaban

08/08

  Bancos lucram alto

03/08

  GRATIFICAÇÕES - IGP-DI – SITUAÇÃO ATUAL

02/08

  ssociados da Cabesp pertencentes ao Plano Pré-75

30/07

  Conheça as regras para não ser excluído da Cabesp

| Ver todas as Notícias   |
Clique aqui e envie, você também, sua notícia     |


Recomende este site a colegas banespianos da ativa, aposentados e pensionistas

Seu Nome:
Seu E-mail:
Nome do seu amigo:
Em caso de vários E-mails, separá-los por vírgulas.
E-mail(s) do(s) seu(s) amigo(s):

.
APdo Banespa - Bancários aposentados - direitos - justiça
Para qualquer contato utilize este e-mail: ----> pozzetti@gmail.com

Atualmente temos 3712 cadastrados no site
Verifique se você está cadastrado(a) no APdoBanespa

Insira seu
Não está?
Então, preencha o formulário abaixo
para cadastrar-se e participar de um seleto grupo de
Banespianos Aposentados, Pensionistas e da Ativa.



Cadastro de Participantes do APdoBanespa


Ex: 00 0000 0000

Ex: São Paulo/SP
<== AAAA-MM-DD
Ex: Maceió/AL
Ex: 1966/1996



               


  | Relação de participantes   | Voltar  |


Comentários para você ver

Atualmente somos 3712 cadastrados no site. - Clique abaixo para se cadastrar!

Cadastre-se no APdoBanespa, o Site dos Banespianos! clique aqui e cadastre-se!

Tô ferrado, Tô ferrado Veja as rimas e/ou clique aqui e envie as suas quadrinhas!


Para participar clique aqui e Cadastre-se

Adicione Apdobanespa aos favoritos

Faça do APdoBanespa a sua página inicial: ---> Clique aqui!

 | Principal  | Notícias Anteriores  | Objetivo  | Participantes  | Ler Dort  |
 | Classificados  | Dicas  | Mensagens Músicas Receitas  | Afabans  | Fotos  |
 | E-mail@APdoBanespa  | Cadastro  |