Cadastre-se no APdoBanespa - É GRÁTIS - Clique aqui

Por que convivemos com a corrupção?
Visite www.apdobanespa.com

Publicado por Luiz Flávio Gomes
Com total descaramento, o deputado Benjamin Maranhão (SD-PB), após ignorar a ética que deveria fazer parte das suas responsabilidades políticas, resolveu que a sociedade brasileira pagadora de impostos deveria arcar com seu lauto almoço, que custou a todos nós a quantia de R$ 1.495,00. Dizem que teria havido ressarcimento depois que tudo se tornou público. O paradoxal é que a falta de vergonha do deputado acontece precisamente no momento em que a sociedade brasileira começa a reagir com mais rigor (com mais consciência crítica) contra a bandalheira da corrupção (particularmente a cleptocrata, que é a bandidagem de quem governa o país).

No Brasil a criminalidade e a corrupção são as maiores preocupações da população, consoante pesquisa feita em 2014 pelo Instituto americano Pew Research Center: 83% dos entrevistados disseram que o crime era uma grande preocupação atualmente; o mesmo foi dito sobre a corrupção: 78% apontaram-na como um grande problema nacional. Se a corrupção é um grande problema, por que convivemos com ela diuturnamente? A razão central é a seguinte: porque somos muito mais permissivos que alguns outros países em relação ao ganho ilícito, ao enriquecimento sem causa, à acumulação indevida de riqueza. Nossa relação com a lei é muito problemática. O império da lei (aqui) constitui um longínquo desideratum.

O Brasil é um país capitalista moderno, mas extremamente desigual. Conta com europeizados ao lado de milhões de etiopizados. Somente nos igualamos perversamente diante do não cumprimento das leis: (1) ninguém se sente constrangido a cumprir a norma legal; (2) todos se sentem desiguais (social e legalmente). “Isso vale tanto para as elites, que se julgam isentos de se submeterem às normas, mas que, no entanto, criam-nas para subverterem-nas, como para as classes populares, que não conseguem fazer valer seus direitos e não cumprem as normas (a pobreza os desobriga), a não ser que esse descumprimento venha a ameaçar a “ordem” (violência). No meio-termo fica uma classe média que se conforma com burlas variadas, como fraudar a declaração de imposto de renda, não obedecer ou desobedecer às leis de trânsito, participar de pequenos atos ilícitos, corrompendo agentes estatais da baixa burocracia etc.” (veja Céli Regina Jardim Pinto, A banalidade da corrupção: 32-33).

O problema, no entanto, não é somente brasileiro. De acordo com a pesquisa citada, o crime e a corrupção são flagelos comuns das sociedades modernas e estão no topo da lista de problemas citados pelo público nos países emergentes e nos países em desenvolvimento: 83% dos 38.620 entrevistados em 34 países disseram que o crime é um problema muito grande em seu país e 76% disseram o mesmo sobre os líderes políticos corruptos.

Tomando a média entre os 20 países pesquisados ​​em 2007/2008 e 2014, houve um salto de 64% para 74% com a preocupação com o crime e de 63% a 73% com a corrupção. O rompimento com a lei é um maior problema na América Latina (uma média de 86% dizem que é um problema muito grande), na África (84%), na Ásia (72%) e no Oriente Médio (67%). Em média, 76% dos entrevistados nos 34 países dizem que os líderes políticos corruptos são um problema muito grande em seu país. Se existe algo no Brasil que iguala os europeizados aos etiopizados é a ausência do império da lei. Isso explica em grande parte nosso fracasso como nação civilizada. O Brasil é um país rico, mas muito pouco “domesticado” (para usar a linguagem de Nietzsche).

*Colaborou Flávia Mestriner Botelho, socióloga e pesquisadora do Instituto Avante Brasil.   - Visite www.apdobanespa.com

APdoBanespa - 09/05/2015

|   Ver Comentários   |   Comentar   |

Nº 120400   -    enviada por     Álvaro Pozzetti de Oliveira   -   Bauru/


|   Voltar |

Veja Mais Notícias

09/11

  Bens – Economize, doando em vida

07/11

  Banesprev convoca Assembleia Geral 2018

01/11

  SANTANDER - LUCRO NO 3º TRI

29/10

  GRATIFICAÇÕES – VENCEMOS MAIS UM OBSTÁCULO

23/10

  Jornal da Afubesp de outubro/2018

08/08

  Queremos proposta da Fenaban

08/08

  Bancos lucram alto

03/08

  GRATIFICAÇÕES - IGP-DI – SITUAÇÃO ATUAL

02/08

  ssociados da Cabesp pertencentes ao Plano Pré-75

30/07

  Conheça as regras para não ser excluído da Cabesp

| Ver todas as Notícias   |
Clique aqui e envie, você também, sua notícia     |


Recomende este site a colegas banespianos da ativa, aposentados e pensionistas

Seu Nome:
Seu E-mail:
Nome do seu amigo:
Em caso de vários E-mails, separá-los por vírgulas.
E-mail(s) do(s) seu(s) amigo(s):

.
APdo Banespa - Bancários aposentados - direitos - justiça
Para qualquer contato utilize este e-mail: ----> pozzetti@gmail.com

Atualmente temos 3713 cadastrados no site
Verifique se você está cadastrado(a) no APdoBanespa

Insira seu
Não está?
Então, preencha o formulário abaixo
para cadastrar-se e participar de um seleto grupo de
Banespianos Aposentados, Pensionistas e da Ativa.



Cadastro de Participantes do APdoBanespa


Ex: 00 0000 0000

Ex: São Paulo/SP
<== AAAA-MM-DD
Ex: Maceió/AL
Ex: 1966/1996



               


  | Relação de participantes   | Voltar  |


Comentários para você ver

Atualmente somos 3713 cadastrados no site. - Clique abaixo para se cadastrar!

Cadastre-se no APdoBanespa, o Site dos Banespianos! clique aqui e cadastre-se!

Tô ferrado, Tô ferrado Veja as rimas e/ou clique aqui e envie as suas quadrinhas!


Para participar clique aqui e Cadastre-se

Adicione Apdobanespa aos favoritos

Faça do APdoBanespa a sua página inicial: ---> Clique aqui!

 | Principal  | Notícias Anteriores  | Objetivo  | Participantes  | Ler Dort  |
 | Classificados  | Dicas  | Mensagens Músicas Receitas  | Afabans  | Fotos  |
 | E-mail@APdoBanespa  | Cadastro  |