Cadastre-se no APdoBanespa - É GRÁTIS - Clique aqui

                                   
DICAS DE SAÚDE
DICAS DE SAÚDE
DICAS DE SAÚDE


FALECIMENTO DE ASSOCIADO BANESPIANO
Enviada em 21/01/2018 por     Nelson Ladeira

Amigos Banespianos,
A.F.A.B.E.S.P. editou uma Cartilha completa especifica para os Banespianos.
RELAÇÕES HUMANAS. - “ROTEIRO DE PROVIDÊNCIAS EM CASO DE FALECIMENTO DE ASSOCIADO”, para aliviar o peso da família e dos amigos, para que possam obter as informações necessárias.

entrar no:
https://www.google.com.br, procurar por Relações Humanas – Roteiro de providências em caso de falecimento de associado.

Ou solicitar Cartilha a AFABESP- Rua Direita, 32 – 3ª - 4º -Andares – Centro – São Paulo-SP. - CEP 01.002-000 – Fone (11) 3291-4199 – Fax 11-32914-4194-afabesp@afabesp.org.br,

Ninguém gosta de pensar sobre a morte, ninguém gosta de falar sobre ela, e muito poucas pessoas sabem reagir quando ela chega. Existem muitas decisões importantes que a família que não está no mínimo preparada, precisa tomar. Esta é a razão de ser tão importante a discussão com seus familiares.
Nelson Ladeira

Aos meus amigos, do Conselho do Idoso, instrução de como a família deverá proceder em caso de falecimento.

Documentos necessários para registro do óbito:
CPF e RG do falecido;
Título de Eleitor do falecido;

Certidão de casamento;
Cartão Benefício do INSS;
Um parente de primeiro grau para registro. Obs.: comunicar se deixa filhos, esposo (a);
dependentes, sucessão de bens;
Atestado de óbito ou guia de registro do SVO ou laudo do IML.
1. Em Caso de Falecimento em Residência, Via Pública ou Morte Violenta:
A primeira providência é chamar um médico da família. Quando isto não for possível, deverá ser providenciado na Delegacia de Polícia mais próxima, um Boletim de Ocorrência (B.O) denunciando o falecimento. De posse deste B.O, a própria polícia encaminhará uma viatura para remoção do corpo e encaminhamento ao SVO (morte natural) ou IML (morte violenta) do município.
NÃO DEVE SER TOMADA NENHUMA PROVIDÊNCIA ATÉ A VIATURA CHEGAR.

Após o corpo chegar no SVO ou IML, deverá ser aguardada a liberação do mesmo. Entregar a roupa do falecido para troca.
Será entregue uma guia para registro do óbito que deverá juntamente aos documentos e boletim de ocorrência ser entregue ao serviço funerário ou cartório.
2. Em Caso de Falecimento em Hospital:
O próprio hospital se responsabilizará para emissão do atestado de óbito no caso do paciente estar internado a mais de 72 horas.
Obs.: Existem hospitais que mesmo nesta circunstância, não se responsabilizam pelo atestado e encaminham para o SVO da mesma forma, sendo necessário então o Boletim de Ocorrência e guia emitida pelo SVO conforme os casos anteriores


VELÓRIO E SEPULTAMENTO
Com os documentos em mãos, o atendente junto à um parente de primeiro grau deverá registrar o óbito em um cartório (em horário comercial) ou na agência funerária do município. O velório deverá ser agendado em cemitérios particulares ou marcado na própria agência em caso de velório municipal.


CREMAÇÃO
A cremação será efetuada sempre após o decurso de 24 horas, contadas a partir do falecimento.
1. Em caso de morte natural:
Atestado firmado por dois médicos;
Autorização de um parente de primeiro grau;
Autorização de cremação do próprio falecido em vida com 03 testemunhas e registrado em cartório.
2. Em caso de morte violenta:
Neste caso, o atestado deverá ser firmado por um médico legista e a cremação só será efetuada mediante autorização do poder judiciário, o qual exige uma declaração do delegado e do IML não se opondo à cremação;
É exigida uma autorização de um parente de primeiro grau também.


EXUMAÇÃO:
Se for em túmulo de concessão do próprio requerente:

Cópia autenticada da Certidão de óbito;
Cópia autenticada do RG do requerente;
Documentos que comprovem o grau de parentesco com o falecido.
Obs.: Neste caso o requerente assina pela concessão do túmulo e pela exumação.
Se for em túmulo de terceiros:
Além dos documentos acima citados:
Cópia autenticada do documento do terreno (em caso de cemitério particular);
Cópia autenticada do RG do concessionário.
Obs.: Neste caso o requerente deverá assinar pela exumação e o concessionário pela concessão, no mesmo requerimento.


SEPULTAMENTO DE MEMBROS AMPUTADOS:
Quando ocorre a amputação de um membro, a família pode solicitar que o hospital tome as providências para se desfazer do membro ou a própria família se encarrega da burocracia.
Em ambos os casos é necessário que haja uma declaração do hospital informando os dados da pessoa e em que circunstância, o membro foi amputado. Esta declaração tem que estar assinada pela diretoria do hospital e pelo médico que realizou a amputação.
Se o hospital expedir uma declaração de óbito do membro, aí tem que ser registrada em cartório e passar pela funerária para dar a guia de sepultamento.
No caso de cemitério particular, é exigida a declaração de óbito do membro registrada em cartório, a compra de uma urna e do jazigo.
"O registro é para que, posteriormente, a pessoa possa requerer o pedido de aposentadoria por invalidez no INSS."

Nelson Ladeira
Presidente do Conselho do Idoso.


Dicas de Informática


Dicas Diversas






Curiosidades









Dicas de Saúde


Comentários para você ver

Atualmente somos 3628 cadastrados no site. - Clique abaixo para se cadastrar!

Cadastre-se no APdoBanespa, o Site dos Banespianos! clique aqui e cadastre-se!

Tô ferrado, Tô ferrado Veja as rimas e/ou clique aqui e envie as suas quadrinhas!


Para participar clique aqui e Cadastre-se

Adicione Apdobanespa aos favoritos

Faça do APdoBanespa a sua página inicial: ---> Clique aqui!

 | Principal  | Notícias Anteriores  | Objetivo  | Participantes  | Ler Dort  |
 | Classificados  | Dicas  | Mensagens Músicas Receitas  | Afabans  | Fotos  |
 | E-mail@APdoBanespa  | Cadastro  |